Império Serrano canta “O que é, o que é?” na Avenida!

A tradicional Escola de Samba Império Serrano, do morro da Serrinha do bairro carioca de Madureira, não quer de jeito nenhum desperdiçar a segunda chance que ganhou no Grupo Especial do Carnaval do Rio de Janeiro. Para tanto, informa o site da Império, que o carnavalesco Paulo Menezes e a diretoria imperiana, apostam na inovação e na criatividade para apresentar o enredo “O que é, o que é?” de Gonzaguinha.

Primeira escola a desfilar na noite de domingo 03 de março de 2019, a Império desfila contando a vida do filho de Luiz Gonzaga e inovando ao som da própria música clássica de Gonzaguinha “O que é, o que é?” como samba enredo. “Uma ideia genial! Como ninguém nunca tinha pensado nisso antes? Um samba que taí há mais de 30 anos!’. Adorei muito a ideia. Nunca tive oportunidade de conversar com o Paulo Menezes, mas, quando encontrar com ele, vou dar os parabéns. Foi sensacional”, diz entusiasmado o cantor e sambista Neguinho da Beija Flor.

Se o surpreendente anúncio de que o Império Serrano cantará no desfile de 2019 “O que é, o que é?”, de Gonzaguinha, foi recebido com estranheza e desaprovação por um ou outro sambista, para Neguinho da Beija-flor a escola da Serrinha acertou em cheio ao escolher o sucesso do filho de Luiz Gonzaga para embalar seus componentes no ano que vem.

Sobre algumas críticas que a diretoria do Império está recebendo de que, ao escolher um samba que não foi originalmente composto para servir de trilha sonora de um desfile e que a iniciativa enfraqueceria as alas de compositores das agremiações, Neguinho tem alguns questionamentos.

“O samba do Gonzaguinha ir pra Avenida faz mal às alas de compositores? E os sambas de escritório, por acaso fazem bem? E uma parceria ter 10, 15 compositores assinando uma obra, isso é legal? E os mesmos caras, de samba de escritório, ganharem sambas em diversas escolas, até do mesmo grupo, isso é legal e não enfraquece as alas de compositores? Tem coisas que, sinceramente, não consigo entender”, comentou o cantor Neguinho da Beija Flor ao site oficial da Império Serrano.

Adilson Sena (compositor) Foto: Nelson Gariba/Sintonia de Bambas

No mesmo embalo de aprovação da iniciativa do Império, ressalta o sambista e compositor Adilson Sena. “Achei sensacional a ideia! Um samba que é sucesso a tanto tempo em todas as mídias e rodas de samba, agora transformado em samba enredo, vai ser sucesso na avenida também e todo mundo vai cantar o samba da escola, seja ele torcedor do Império Serrano ou não”, acredita Adilson Sena, que por muitos anos foi diretor da ala dos compositores da Escola de Samba Nenê de Vila Matilde.

A oficialização do “O que é, o que é?” tem agrados de uns e desagrados de outros. Entretanto, a proposta da Império Serrano vem com boa aceitação nos cenários do samba, já que a obra de Gonzaguinha é considerado um grande clássico da Música Popular Brasileira. A inovação pode até ter riscos, mas acredito que também sinaliza como “divisor de águas” nas safras atuais de sambas enredos que tem mostrados nos cenários carioca e paulista que a criação desses anda um tanto “sofrível” e da difícil assimilação dos componentes das escolas na hora do desfile.

Valdir Sena – Jornalista, radialista, cronista de Carnaval e editor da Sintonia de Bambas.

Facebook comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove − 12 =