Home Contos Conto para uma mulher morta

Conto para uma mulher morta

por Luis Mendes
208 visualizações

Elza Soares em desfile da Escola de Samba Mocidade Independente de Padre Miguel/ Foto: Nelson Gariba.

A mulher está morta, somos cúmplices. Sua cova começou a ser cavada com as ofensas nas propagandas e nas ruas. Agora são projetos defendidos publicamente nos parlamentos. Mesmo que tais projetos sejam derrotados, ousamos em deixar discuti-los. Por isso a mulher está morta. Mesmo que viva e ande pelas ruas da cidade, estará morta! Sua morte não foi repentina, se deu aos poucos. Uma morte lenta ao longo dos séculos. Uma morte que se dá não pelo desespero de uma bala ou uma faca. Embora muitas mulheres morram desesperadamente na ponta de uma faca ou de uma bala todos os dias! Dessa vez sua morte foi pelo desprezo e falta de respeito, morte cultural. Morreu por falta de respeito que não tinha ao entrar num ônibus ou conferir seu salário do mês. Respeito que não teve quando homens falavam de seu corpo em discursos no parlamento e nos púlpitos das igrejas. Ou quando entrava na fila do SUS para tirar algo de seu corpo, fruto da repugnante violência praticado pelos homens. Uma morte que acontece toda hora entre as portas fechadas e inseguras de seu lar. Não é de hoje que essa mulher demonstra em seu corpo sinais dessa patologia, sinais de intolerância, machismo e ódio! Sinais claros que deveríamos ter observado ao ouvir o discurso de um vizinho ou de um parente. Eram sinais de que a sociedade estava doente e a mulher pedia socorro. Sinais claro quando a serpente ainda não havia chocado o seu ovo. Deveriamos ter abrigá-las sob a bandeira de igualdade quando ela a desfraldava nas ruas e praças da cidade exigindo direitos e respeito. Não o fizemos e hoje ela está morta. Em sua cova serão colocados os negros, os índio, homossexuais, os idosos, democratas, religiões de matrizes africanas. Na sociedade onde se mata mulheres não é permitido a diversidade. Por isso silêncio, seu cortejo passa diante de nossos olhos, ela renascerá como uma fênix, em alguma estatística.

Instagram luismendes5230

Twitter @LuisMen98707774

Luis Mendes é autor do livro Conversa de Encruzilhada disponível através do link https://desconcertoseditora.com.br/produto/conversa-de-encruzilhada-luis-mendes/

Email [email protected]

Compartilhar isso:

Facebook comentário

0 Comentário

Deixe um comentário

Você pode gostar